Clemar Despachante Aduaneira e Logística Clemar Despachante Aduaneiro e Logística

POR QUE OS FRETES INTERNACIONAIS ESTÃO TÃO CAROS E FALTAM CONTÊINERES NO MERCADO?

A alta do preço dos fretes internacionais está impactando diversos setores econômicos e causando uma desestabilização da cadeia logística mundial. Com o aumento de mais de 200% nos últimos meses, importadores, exportadores e consumidores estão sendo afetados de forma direta.

A demanda por transporte internacional, que já vinha crescendo desproporcionalmente há alguns anos, vem sofrendo ainda mais com os impactos causados em função da pandemia do Covid-19. O custo do frete marítimo, que havia diminuído no segundo semestre de 2020, teve uma sequência de aumentos que não retrocederam.

A crise se agravou no momento em que diversos países aderiram ao lockdown, fazendo com que as atividades portuárias de todo mundo fossem paralisadas. A interrupção e cancelamentos das saídas dos navios resultou no acúmulo de toneladas de mercadorias e prisão de contêineres, desestabilizando a capacidade de reposições conforme as programações.

Com o aumento do número de colaboradores infectados pelo coronavírus, normas de distanciamento e isolamento social foram adotadas, resultando na redução de profissionais nas atividades portuárias. Soma-se a isso, a gradual reintegração da economia em diversos países. As encomendas de insumos e mercadorias do comércio exterior tiveram crescimento significativo, fazendo com que armadores e terminais portuários fossem incapazes de atender as demandas solicitadas.

Dados fornecidos pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) em julho de 2021 apontaram que os principais problemas enfrentados pelas empresas que atuam no comércio exterior são justamente os valores elevados dos fretes e a falta de contêineres e navios. Mais de 70% delas informaram ter suspendido alguma escala ou serviço logístico.

Estamos passando por uma crise logística sem precedentes, que ameaça o crescimento econômico do país por conta dos atrasos e disparada nos preços. Todo esse cenário poderá impedir que as empresas consigam ter suas demandas atendidas, acarretando a falta de produtos no mercado, afetando diretamente o consumidor final que já percebe a inflação dos preços nas prateleiras.

A previsão é a de que países como o Brasil deverão conviver com este cenário caótico no comércio exterior e alta na taxa de inflação até o segundo semestre de 2022.

Translate »
×